1.9.08

Na companhia de ninguém...

Às vezes tudo o que a gente precisa é da gente mesmo. Aquele dia estranho, vazio, opaco, meio frio, meio quente, perdido... é a hora de sentar em algum lugar, pedir uma bebida qualquer, contemplar a paisagem tão normal que quase nunca contemplamos e que, sim, é dotada de qualquer beleza simples, porém, extremamente tocante - sempre faz diferença.

A sós, eu e eu mesmo, a vodka, o energético, a tarde cada vez mais fria, a garoa fina e uma cadeira VAZIA ao meu lado. Até que surge alguém com a estranha capacidade de reverter todo o sentimento daquela tarde vazia. Alguém que não sei de onde veio, pra onde vai ou porque apareceu ali... um anjo, talvez. Ou um demônio... vai saber...

Sentou, conversou, cativou e vai ficar pra sempre guardado em algum lugar meu. Levou consigo um pedaço e deixou um outro comigo. Essa troca foi extremamente importante. FEZ a diferença...

Onde estará agora...

Um comentário:

Fábio disse...

Às vezes ficar sozinho é mesmo necessário. Mas uma cerveja a dois é boa pedida, vai! Tudo bem que eu não bebo porra nenhuma, mas o convite para o boteco ainda está de pé!

Assim que eu chegar aí (ainda estou aqui nesse cantinho maluco do outro lado do mundo), te dou um toque pelo blog e a gente finalmente marca. Abração!