16.8.07

...

Não é crime comentar um blog em outro blog, certo?

Pois bem, hoje, o post do Marco em seu brilhante Cachorros que Falam trouxe uma reflexão intrigante, vale a pena acessar e ler. E aproveitar pra ver uma foto minha, já que eu não coloco fotos aqui.

O meu comentário a respeito do blog do Marco nada tem a ver com o post dele. Tem a ver comigo. Diretamente comigo.

Não fosse o Marco um grande amigo meu, eu acreditaria piamente que ele está me fazendo palhaço. Semana passada, em sua estréia no blog, se referiu à mim como um bêbado que "deve ter óleo de soja na corrente sangüínea porque, pra algo deixá-lo bêbado, ele tem que beber muito" - não me lembro bem das palavras, mas era bem parecido com isso aí. Hoje, ele posta uma foto minha, zombando da minha cara de concentração.

Eis a foto a que me refiro:



Essa foto foi tirada num estúdio enquanto o Reverstereo gravava uma música que marcaria nossa história, a "Eu sou assim" - que pode ser ouvida em www.purevolume.com/reverstereo. Eu estava gravando a bateria e, nesse momento provavelmente estava ouvindo a música de novo pra ver se estava bom, se dava melhorar ou pra consertar algum erro.

Esse post não tem como finalidade criticar o Marco ou causar alguma intriga. Só estou me justificando. Essa cara de pateta não é a minha cara de sempre e eu também não costumo pensar tanto na vida dessa maneira. Mas, de acordo com o post do Marco, chego a cnclusões óbvias que inclusive especialistas já divulgaram por aí:

- Os fones de ouvido desviam MUITO nossa atenção.

Por isso, pessoal, cuidado ao andar por aí com seus MP3 players altíssimos nos ouvidos.... AHuAHuHaHAUhUAHuhA!!! Não, não estou aqui pra dar lição à ninguém! Eu apoio o som alto na orelha!

Acho que os momentos em que andamos de lá pra cá pelas ruas, ônibus, trens, etc., são momentos de introspecção que são extremamentes necessários para o bom andamento da vida. Quando você põe o volume no talo e escuta uma música que você gosta, vc se volta à sim mesmo. Cantarola os versos por dentro, toca air guitar e imita um vocalista sem perceber que alguém pode estar olhando. Isso, ao meu ver, é uma liberação de energias negativas que por vezes armazenamos dentro da gente sem saber com tirá-las depois.

É claro que precisa-se de atenção redobrada pra atravessar a rua e coisas desse tipo, mas a possibilidade de andar por aí fazendo parte de um vídeo-clip, como disse o Marco, é extremamente empolgante! Eu já, milhões de vezes, chamei atenção de tanta gente na rua quando ouvia Sepultura no máximo do meu discman velho e, pensando estar cantando baixo mas fazendo exatamente o contrário, imitava (muito mal por sinal) o Max Cavalera gritando "dictatorshit".

Enfim... vale a pena fazer parte do seu vídeo-clip diário. Mas vale mais a pena prestar atenção ao que acontece a sua volta no trânsito caótico da paulicéia.

2 comentários:

Felippe disse...

Poa, o Marquito te ama cara!! ahUAHuhauHUAhu

Pra você ver como você é uma referência na vida dele... rs

garrafa e mar disse...

Então vc toca bateria ... eu tentei ser guitarrista. tentei mexer nela, para melhorar o som. aí fui tocar descalço e aí ... bem, fiquei traumatizado. minha banda favorita é o Deep Purple. Seu baterista, Ian Paice, swingava um pouco com jazz, o q fazia a banda soar melhor. uma boa dica, né?
seu blog melhorou. um grande abraço. tum! tum!