11.9.07

11 de setembro

Hoje é 11 de setembro. Todos se lembram daquele 11 de setembro de 2001, não? Pois é. Não vai ser fácil esquecer. Por mais que apareçam os amigos esquerdistas e "comunistas", com bandeiras e camisetas do Che Guevara e sem a menor condição de seguir essa linha política que assola países como Cuba, por exemplo, eu preciso dizer que aquilo foi extremamente doente. O reflexo de uma religião extremista e intolerante. É fácil alguém querer se matar vivendo num regime onde não podem sequer olhar mulheres de biquini na praia, tomar cerveja, presenciar um show da Ivete Sangalo ou um domingo de futebol. Morrer, pra eles, é sair de lá pra um lugar legal. E isso vale a pena.
Mas o que eu quero aqui é propor um raciocínio absurdo. Vi na Folha OnLine hoje que "EUA querem investigar Bush sobre 11 de setembro". Esse é o resultado de uma pesquisa encomendada alguns dias antes de hoje... tipo semana passada. E o resultado é que mais da metade dos americanos "duvidam" de alguns acontecimentos no dia do atentado.
Vamos ao raciocínio absurdo: o Bush não é uma pessoa normal, todos sabem. Vimos o que ele foi capaz (e ainda é) de fazer para conseguir o que quer. Vide a merda que está a tal da guerra no Iraque. Digamos que, ameaçado pelas próprias cagadas, ele tenha se desesperado e dado um jeito de resolver o problema focando todos os holofotes em sua cara. Ela liga para um amigo da Al Qaeda, solicita um atentado e paga por ele, fortalecendo assim a fortuna e o poder de Osama Bin Laden.
Bin Laden, por sua vez, não aceita o tal acordo. Diz que é contra o pedido de Bush e que isso vai de encontro às Leis do Islã. Não se faz um atentado por correspondência. Não é assim que funciona.
Mesmo assim, inquieto e com pouco tempo (tempo pra quê?!), bush insiste na idéia e, com a ajuda dos setores americanos responsáveis, localiza alguns jovens de origem islâmica e os recruta para enviá-los para a Al Qaeda. Em retribuição, a rede terrorista de Bion Laden manda aos EUA outros jovens prontos para o que eles precisassem e dispostos a morrer por "amor a Alá".
Eles seqüestram os aviões sem muita dificuldade e entram nos mesmos com a ajuda da própria policia federal no aeroporto. Rendem o piloto e a tripulação, e assumem o comando dos aviões. Pouco tempo depois, numa manobra arrojada e muita bem-feita, um do aviões se choca contra uma torre. Minutos depois, o segundo, na segunda terro. E uma "chuva de aviões" caiu sobre o EUA.
Bush recebe a notícia durante a leitura de um livro de cabeça pra baixo numa escola para crianças. Faz ar de perplexidade, mas, no íntimo, comemora o feito: poderá usar todos os argumentos para "defender" seu país. E por aí a coisa flui até hoje...
Claro que isso ainda é coisa da minha cabeça. Quer dizer, não é claro... aí é que está o ponto intrigante desse meu post. A verdade sobre os atentados de 11 de setembro está longe de ser desvendada por inteiro. Se é que viveremos pra ver isso. O que há por trás, ninguém sabe. E eu não consigo entender os motivos do Bin Laden fazer tanto mal pra uma gente que, sequer falava no povo dele.
Rejeição? Revolta? Inveja? Quem sabe... Só acho que terrorismo se combate com terrorismo. Devíamos invadir o afeganistão com mulheres sem roupa, a mangueira, o Chico Buarque, o Bonde do Tigrão, toneladas de limão, açúcar, gelo e um carro pipa da mais pura Pirassununga 51 e instituir o carnaval na terra do barbudo. Não mataríamos ninguém e ensinaríamos o povo dele a passar por cima de qualquer problema social, desvio de conduta dos governantes, falcatruas, fome, miséria, corrupção: ensinaríamos os afegãos a serem brasileiros! Desses que não desistem nunca...
Sofreriam, mas seriam um povo mais feliz! Pediriam dinheiro aos cofres do Tio Sam, comeriam Pizza Hut e McDonald's e dariam risada de toda essa babquice que, graças a Deus, aqui não tem.

3 comentários:

Felippe disse...

ahuHAUhuaHUAHUahuHAU...
Quando acontecer o carnaval do tio Bin me chama hein!!

Mas é fato, 9/11 tem muito oq ser explicado ainda.

Abraço.

Marco disse...

Assista ao documentário Fahrenheit - 11/09 feito pelo Michael Moore, que suas dúvidas serão sanadas. Quanto a ensinar eles a ser brasileiros, não sei se é boa ideia. Se não, além de continuar o regime de lá, ainda aprendem a fechar os olhos pras dificuldades...

Robson Assis disse...

Se é que depois de morrer a gente vai pra algum lugar, quando chegar lá vou falar com o gerente e perguntar: "Quem foi que fez aquela patifaria 11 de setembro, afinal?"... "O Lula sabia ou não sabia, afinal?"... "Meu irmão tinha comido mesmo minha torta aquele dia ou realmente desapareceu?"

Mas sobre o 11 de setembro, cara.. Claro, acho uma puta sacanagem matar gente assim, mas o mundo precisava ser balançado. Do mesmo jeito que é fácil qualquer um roubar um carro, é fácil derrubar uma Torre imensa, ícone do capitalismo mundial. Sei lá, só conspiração também.