5.1.09

ano novo, labuta velha.

já cansei de escrever sobre como os dias cinza me fazem feliz. quase ninguém entende a importância de um dia como o de hoje. acordei com "This Charming Man", do Smiths, martelando minha cabeça. no celular tinha Timbalada e Chiclete com Banana, coisas que levei para regar de alegria a virada do ano. foi bom. vim pro trabalho terminando o Jorge Amado. sensacional, por sinal.

cheguei ao PC e fiquei atrás de algo pra ouvir. lembrei-me que no amigo secreto do final de 2007 eu pedi um DVD do Pavarotti. tava numas de ópera. e ainda estou. coloquei o "Brutus" pra cantar pra mim à toda no fone de ouvido. saciei a sede lírica do dia, voltei pro Smiths, pro Bauhaus, pro The The e pra mais um monte de oitentista claro. lembrei de outros tempos.

no inverno de 2006 as coisas sorriam pra mim. eu era mais feliz. ia à Augusta de sexta-feira, passava na padoca Pitelzinho e tomava conhaque com licor de cacau num copo plástico e de canudo. ia descendo, seguindo pro baixo meretrício da cidade - mas nunca entrei num puteiro.

sempre acabava do mesmo jeito. saía da Outs de óculos escuros às seis da manhã, a Augusta suja e movimentada na manhã cinza claro de um sábado qualquer. andava até a Paulista, entrava num bar, tomava um café (quando não outra vodka), comia qualquer coisa, descia para o bafo quente do metrô, acompanhado ou não, e ia sonhando até chegar em casa. sempre com algo nos ouvidos.

acho que no inverno de 2006 eu fui indie e não sabia. passou.

esse ano que acabou me deixou um tanto saudosista. eu senti falta de muita coisa. umas reviravoltas grandíssimas me tiraram de órbita e eu entrei em rota de colisão comigo mesmo. poético, não? é, mas nada agradável. diversas noites eu passei me lamentando, me culpando por não ter enxergado muita coisa antes. papo de corno mesmo. mesmo não sendo esse o caso. será? enfim...

perdi muito tempo olhando pra trás e esqueci de olhar pra frente. o balanço é um ano mais ou menos. aliás, bem mais ou menos. lembro o quanto prometi, planejei, ah... esquece! todo mundo faz isso...

esse ano vai ser diferente. é o que todos dizem. li que mudanças acontecem com mudanças e eu não sei se mudei. sei que ter dado os primeiros passos já mudam a concepção do ano novo. eu já o vejo de outra forma pelo simples fato de não ter começado como comecei todos os outros.

se são mudanças que me aguardam, pode dizer que venham.

2 comentários:

Fábio disse...

Bem-vindo de volta, cara! De minha parte, espero que 2009 seja um ano um pouquinho menos intenso e mais calmo que 2008... Um pouco mais de paz não faz mal a ninguém, né? :)

Abração e bom ano novo!

Luciano Costa disse...

Sextas e sábados de augusta também são tradição por aqui. Outs, Sarajevo, Lapeju, Studio SP,Charm, Bar do Miranda, Ibotirama...